Putin ameaça usar arma nuclear contra o EI, mas diz que ainda não é preciso

Russos usaram submarino para atacar o grupo nesta quarta. Presidente disse, porém, que medida

Por O Dia

Rússia - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, ameaçou utilizar armas nucleares para combater os terroristas que estão na Síria, caso a situação se complique. A declaração foi dada nesta quarta-feira durante uma reunião no Kremlim com o ministro de Defesa, Sergei Shoigu. Putin disse, no entanto, que espera que isso nunca seja preciso. 

"Os mísseis Kalibr (usados pelos navios russos) e os KH-101 (usados nos caças militares) podem ser armados com ogivas convencionais ou com as especiais, ou seja, aquelas nucleares. Naturalmente, isso não é necessário quando combatemos os terroristas e espero que nunca seja preciso", destacou o líder russo.

Vladimir Putin garantiu que vai encontrar responsáveis por bombardear avião russo no Egito EFE

Para o mandatário, "é necessário analisar tudo o que ocorre no campo de batalha e que tipo de armas devem ser usadas" em cada situação e os atuais equipamentos usados pelo país "são modernos e altamente efetivos".

Os russos ainda informaram que começaram nesta quarta um ataque específico contra as bases do Estado Islâmico (EI, ex-Isis) em território sírio usando um submarino que foi deslocado para o Mar Mediterrâneo. Essa é a primeira vez que o equipamento é utilizado para este fim, segundo o jornal "Rusia Today".

De acordo com a publicação, o ministro Shoigu informou que o submarino Rostov-on-Don lançou mísseis 3M-54 Kalibr, os mesmos usados pelos navios de guerra que estão nas águas do próprio Mediterrâneo e do Mar Cáspio. Fora da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidas, a Rússia realiza ataques tanto contra o EI como contra os extremistas que lutam contra o presidente sírio Bashar al-Assad.



Últimas de _legado_Mundo e Ciência