Presidente sírio acusado de comprar petróleo do Estado Islâmico

EUA dizem ter matado três chefões do EI

Por O Dia

Síria - Uma das principais fontes de dinheiro do Estado Islâmico é a venda de petróleo. Estima-se que o grupo extremista ganhe até 40 milhões de dólares (R$ 152 milhões) por mês com esse comércio, e boa parte do combustível é comprada justamente pelo líder que os terroristas tanto tentam derrubar. Volumes significativos são vendidos para o governo do presidente da Síria, Bashar al-Assad, e remessas chegam a cruzar a fronteira e a entrar na Turquia, afirmou ontem Adam Szubin, autoridade do Tesouro norte-americano.

“O Estado Islâmico está vendendo uma grande parte do petróleo para o regime de Assad”, afirmou Szubin, subsecretário para Terrorismo e Inteligência Financeira do Tesouro dos Estados Unidos. “Os dois estão tentando matar um ao outro, e eles ainda estão engajados num comércio de milhões e milhões de dólares.”
Terroristas têm levantado mais de 500 milhões de dólares no mercado negro de petróleo e saquearam até 1 bilhão de dólares de bancos na Síria e no Iraque.

Ontem o governo americano informou que a coalizão internacional matou nas últimas semanas três chefes do Estado Islâmico, entre eles Abu Salah, um dirigente que controlava as finanças do grupo jihadista. “Essa eliminação diminuirá a capacidade do grupo para comandar e controlar tropas e financiar seus esforços”, anunciou o porta-voz do Pentágono no Iraque, Steven Warren.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência