Por felipe.martins

Rio - Tempestades sucessivas nas Filipinas, incluindo o Tufão Melor, deixaram 1,7 milhão de pessoas desabrigadas. Pelo menos 41 pessoas morreram quando o Melor atingiu o centro das Filipinas no dia 15, inundando vilarejos, danificando plantações e interrompendo o fornecimento de energia de seis províncias. Nesta quarta-feira o presidente filipino, Benigno Aquino, distribuiu alimentos nas áreas mais devastadas.

Conhecido localmente como Nona, o Tufão Melor danificou ou destruiu 200 mil casas nas províncias de Mindoro Oriental, Samar do Norte e Sorsogon. Os danos à agricultura e à infraestrutura estão estimados em 100 milhões de dólares. As chuvas continuam na maior parte do país, com alagamentos e deslizamentos de terra.

A visita de Aquino a famílias desabrigadas de Mindoro Oriental e Samar do Norte ocorreu um dia depois de rebeldes maoístas atacarem um caminhão do Exército que entregava equipamentos para a limpeza dos destroços causados pelo tufão. Média de 20 tufões atinge as Filipinas todos os anos.

Você pode gostar