Por clarissa.sardenberg
México - O governo mexicano não está investigando diretamente os atores Sean Penn e Kate del Castillo por terem se reunido secretamente com o chefe do tráfico de drogas Joaquín “El Chapo” Guzmán, mas vai avaliar as circunstâncias do encontro, disse um porta-voz nesta terça-feira.
O encontro clandestino no início de outubro, marcado para discutir um artigo para a revista Rolling Stone, foi essencial para que o traficante em fuga fosse encontrado, revelou o procurador-geral do México na segunda.
Sean Penn e Chapo em encontro clandestino para matéria da revista Rolling StoneReprodução Internet

Guzmán foi recapturado na última sexta-feira no noroeste do México. Ele foi levado para a mesma prisão de segurança máxima da qual escapou em julho através de um túnel que levava diretamente à sua cela. O artigo escrito por Penn foi publicado no sábado.

Profundamente preocupadas de que Guzmán possa escapar pela terceira vez, as autoridades mexicanas intensificaram a segurança na prisão, reforçando o chão de sua cela e posicionando guardas em sua porta a todo momento.

Ele agora é mantido em isolamento em outra parte da prisão, segundo uma fonte de segurança mexicana.

Publicidade
As medidas para aumentar a segurança também incluíram a redução no número de detentos, a instalação de quatro vezes mais câmeras e o deslocamento aleatório de Guzmán, sem aviso prévio, para diferentes partes da prisão, disse o porta-voz do governo, Eduardo Sánchez, à Reuters.
Antes de sua ousada fuga da prisão no ano passado, o chefe do tráfico instruiu seus advogados a registrarem os direitos por seu nome, dando às autoridades mexicanas a primeira pista de que ele pretendia fazer um filme sobre sua vida, noticiou a mídia local na terça.
Publicidade
O governo dos EUA quer que Guzmán, que acredita-se ter 58 anos de idade, seja julgado por acusações que vão de lavagem de dinheiro a tráfico de drogas, sequestro e assassinato.
Guzmán, a quem são atribuídas milhares de mortes no México e nos EUA em decorrência do vício em drogas e da guerra entre gangues, enfrenta indiciamentos federais em sete diferentes jurisdições dos EUA.
Publicidade