Por lucas.cardoso

São Paulo - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o governo de Juan Manuel Santos voltaram à mesa de negociação nesta quarta-feira, mas o clima não é otimista para o fechamento do acordo até o dia 23 de março.

"Estamos fazendo o impossível, mas há causas objetivas que certamente vão impedir que isso ocorra até o dia 23 de março.Temos o pé no acelerador desde o início e creio que o governo também. Da parte do Estado há empecilhos muito importantes como é o esclarecimento e o desmantelamento dos grupos paramilitares", disse aos jornalistas um dos líderes das Farc, Joaquín Gómez.

As conversas foram retomadas após o anúncio histórico, feito no último dia 15 de dezembro, sobre um acordo para reparar as vítimas do grupo guerrilheiro e punir os responsáveis pelos crimes. Esse era um dos pontos mais complicados do processo de paz no país após mais de meio século de conflitos.
Publicidade
Essa rodada de negociações, iniciada há mais de três anos em Cuba, já conseguiu fechar acordos em quase todos os pontos divergentes entre o governo e as Farc.
Você pode gostar