Estado Islâmico sequestra ao menos 400 civis em cidade síria

Neste sábado, outro ataque do grupo provocou centenas de mortes. Governo controla apenas pequena parte de cidade

Por O Dia

Síria - Ao menos 400 civis, muitos deles parentes de soldados das forças do regime sírio, foram sequestrados pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na cidade de Deir ez Zor, no leste da Síria. O Observatório Sírio de Direitos Humanos informou que os jihadistas raptaram estas pessoas no bairro de Al-Bughayliyah e no noroeste da cidade, onde na noite deste sábado lançaram um ataque que deixou 280 mortos, segundo o governo.

Homens do EI costumam levar terror às ruas de cidades sírias Reuters

Os reféns foram levados para a periferia ocidental de Deir ez Zor e à região de Maadan, nos arredores da cidade de Raqqa, o principal reduto do EI na Síria. A ONG expressou seus temor de que os extremistas executem os sequestrados, como já fizeram durante a ofensiva deste sábado, quando tomaram o controle de Al-Bughayliyah.

Segundo a agência oficial síria "Sana", os terroristas executaram 280 civis, incluídas dezenas de crianças e mulheres, a maioria familiares de soldados que trabalham em Deir ez Zor. O Observatório informou que os jihadistas mataram pelo menos 135 pessoas, entre elas 50 membros das forças armadas e milícias governamentais e 85 civis.

As forças governamentais controlam apenas uns poucos bairros no norte de Deir ez Zor, assim como o aeroporto militar adjacente à cidade. O EI proclamou no final de junho de 2014 um califado na Síria e no Iraque, nas áreas em que tomou o controle nos dois países. No mês seguinte, avançou pela província de Deir ez Zor, fronteiriça com o território iraquiano, e conseguiu domínio quase total. Esta semana o cerco imposto pelos radicais aos bairros nas mãos do regime completou um ano.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência