Após visitar sinagoga, Papa é convidado para ir à mesquita em Roma

O Pontífice receberá no Vaticano uma delegação do templo islâmico, que formalizará o convite, a visita é negociada há cerca de 10 meses

Por O Dia

Papa Francisco declarou que os judeus são "irmãos mais velhos" dos cristãosEfe

Cidade do Vaticano - Após ter visitado a Sinagoga de Roma no último domingo, o papa Francisco será convidado na próxima quarta-feira a ir à principal mesquita da capital italiana.

Durante sua audiência geral desta semana, o Pontífice receberá no Vaticano uma delegação do templo islâmico, que formalizará o convite. A visita já vem sendo negociada entre a Santa Sé e a comunidade muçulmana há cerca de 10 meses, e a intenção é realizá-la durante o Jubileu Extraordinário da Misericórdia, que termina no dia 20 de novembro.

Na bula de convocação do Ano Santo, Jorge Bergoglio destacou que o tema escolhido para a celebração é comum a todas as religiões. A Mesquita de Roma teve sua construção financiada pela Arábia Saudita e foi consagrada em 1995. Nas principais festas do Islã, ela chega a abrigar 40 mil fiéis. Francisco será o primeiro Papa e conhecê-la.

Em sua visita à Sinagoga de Roma, o Pontífice declarou que os judeus são os "irmãos mais velhos" dos cristãos em matéria de fé e condenou todas as formas de antissemitismo. Ele foi apenas o terceiro Papa a entrar no templo, seguindo os exemplos de João Paulo II e Bento XVI.

Além disso, em seu Pontificado, Bergoglio sempre manteve boas relações com os muçulmanos, a quem também já chamou de "irmãos". Em sua recente viagem à República Centro-Africana, Francisco visitou a mesquita de Koundoukou, onde tirou os sapatos, se ajoelhou e ficou em silêncio diante do mihrab, área voltada à cidade sagrada de Meca, na Arábia Saudita.

Em junho de 2014, o Papa ainda recebeu o então presidente de Israel, Shimon Peres, e o líder da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, para um encontro histórico no Vaticano.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência