Por clarissa.sardenberg

Inglaterra - O Serviço Europeu de Polícia (Europol) advertiu o continente para ataques em "larga escala" do grupo terrorista Estado Islâmico (EI). "O EI está programando ataques em larga escala na Europa. Sabemos que eles têm uma grande capacidade de colocar em prática atentados em larga escala e todos os países da União Europeia estão trabalhando na prevenção", disse nesta segunda-feira o diretor da entidade, Rob Wainwright.

Segundo o líder da Europol, os jihadistas criaram "um comando de ação externa treinado para ataques ao estilo das forças especiais no cenário internacional" e informou que os atentados ocorridos em Paris, no dia 13 de novembro, sinalizam "uma mudança de estratégia de globalização do EI".

Estado Islâmico divulgou vídeo mostrando atrocidades cometidas pelos nove terroristas envolvidos nos atentados de Paris em novembro de 2015Divulgação Dabiq

Ressaltando que a França continua ainda como principal alvo dos ataques, Wainwright deu detalhes sobre o recrutamento dos estrangeiros (os "foreing fighter) pelo grupo. "Há um significativo percentual entre os 'foreign fighter', 20% de acordo com uma fonte, em que eles foram diagnosticados com problemas mentais antes de entrar no EI. Uma larga porção das pessoas recrutadas, as estimativas falam em 80%, também já tiveram precedentes criminais", ressaltou o diretor.

O alerta da Europol ocorre um dia após os extremistas divulgarem um vídeo com o treinamento dos seus nove membros que realizaram os atentados em Paris, matando 130 pessoas. Nele, há um apelo para os "lobos solitários" - as pessoas que simpatizam, mas que não pertencem à linha de combate do grupo - para que realizem ações em prol do califado.

"Nós não cansaremos jamais de combatê-los em suas viagens turísticas, nas de trabalho, enquanto vocês dormem", diz Abdelhamid Abaaoud - um dos mentores do ataque e que foi morto pela polícia francesa.

Nesta segunda-feira, o presidente francês, François Hollande, declarou que nenhuma ameaça atingirá a França. "Ninguém nos aterrorizará e nenhuma ameaça fará a França duvidar que deve fazer uma guerra contra o terrorismo", disse o mandatário durante sua visita à Índia.

Você pode gostar