Áustria detecta primeiro caso de Zika em turista que voltou do Brasil

Caso não preocupa autoridades, pois clima do país é tão frio que não há risco de proliferação dos mosquitos transmissores

Por O Dia

Áustria - A Áustria detectou o primeiro caso de contágio do zika vírus em uma turista que retornou de férias no Brasil, informou nesta quinta-feira a rádio pública "ORF". Os médicos do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de Viena apontaram que a paciente não está grávida, portanto não existe nenhum perigo e que é previsível que sejam detectados mais casos entre pessoas que tenham viajado à América Latina.

Turista austríaca que retornou do Brasil foi infectada pelo Zika vírus EFE

"Quatro de cada cinco pacientes nem se darão conta" que têm o vírus, indicou o médico Herwig Kollaritsch à agência austríaca "APA", o que não terá "nenhuma importância a menos que a pessoa esteja grávida". Além disso, o clima da Áustria é tão frio que não há risco de proliferação dos mosquitos que trasmitem este vírus.

O risco existe para as mulheres grávidas ou para as que tentam engravidar, por isso o especialista pede precaução nas viagens para países latino-americanos, onde há registros da maioria dos casos.

Nesta terça-feira, um dinamarquês foi diagnosticado com o Zika vírus, ele retornou recentemente de viagem ao México e ao Brasil. Após apresentar os sintomas do vírus, o paciente realizou o teste, que confirmou as suspeitas. Segundo autoridades de saúde do país o paciente se recupera bem. A tendência é que ele tenha alta o quanto antes.

A infecção pelo zika vírus é causada pela picada de mosquitos infectados do gênero Aedes aegypti, e costuma gerar febre leve, manchas na pele, conjuntivites e dores musculares. O zika afeta 22 países do continente americano e obrigou os governos da região a tomar medidas extremas, como o Brasil e República Dominicana, que desdobraram forças militares para conter o mosquito transmissor desse vírus.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência