Gangue de mascarados ameaça imigrantes e causa tumulto em Estocolmo

Incidente mostra como tem aumentado a tensão a respeito do tema imigração na Suécia, um país de 10 milhões de pessoas que recebeu 163 mil refugiados no último ano

Por O Dia

Suécia - Uma gangue de homens mascarados e vestidos de preto causou tumulto nas ruas de Estocolmo na sexta-feira à noite, entregando panfletos que traziam "um manifesto" com ameaças de ataque a jovens imigrantes. A polícia informou neste sábado que duas prisões já foram efetuadas. 

O incidente mostra como tem aumentado a tensão a respeito do tema imigração na Suécia, um país de 10 milhões de pessoas que recebeu 163 mil refugiados no último ano. E também ocorre dias depois de uma mulher de 22 anos ser esfaqueada até a morte em um centro de menores refugiados no sudoeste do país.

Grupos opostos contra e favor da imigração se reuniram em Estocolmo neste sábado Reuters

A polícia afirmou em comunicado que um homem foi preso por efetuar socos no rosto de um policial à paisana, e um outro foi detido por portar um soco inglês de bronze, mas não ficou claro se houve ataques contra imigrantes.

Jornais suecos afirmaram que, de acordo com testemunhas, várias pessoas foram atacadas pelos homens que podem pertencer a "firmas", como são chamadas as torcidas organizadas dos times de futebol local, formadas por hooligans.

Os folhetos entregues na sexta à noite, que foram confirmados pela polícia como sendo os mesmos que foram postados em mídias sociais pelo país, traziam a seguinte mensagem: "Quando as ruas suecas não são mais seguras para os suecos normais, é o nosso dever consertar o problema.... Hoje, portanto, 200 homens suecos se reúnem para fazer um manifesto contra as 'crianças de rua' do norte da África que estão perambulando pela estação central da capital"

"A polícia já mostrou amplamente que não tem capacidade de reprimí-los e nós agora não vemos outra alternativa que não dar a eles o tratamento que merecem."

Sábado

Neste sábado, grupos pró e contra a migração fizeram protestos também em Estocolmo. Enquanto um grupo pedia a saída do primeiro-ministro Stefan Löfven e um endurecimento da política migratória, outro grupo gritava slogans contrários. Três pessoas foram detidas por agressão, após os protestos.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência