Por clarissa.sardenberg
Inglaterra - O governo britânico chamou de "ridícula" a decisão de um comitê da Organização das Nações Unidas (ONU), nesta sexta-feira, apontando que Julian Assange, seja autorizado a deixar a embaixada do Equador em Londres e receba uma indenização pelo equivalente a uma detenção de três anos e meio. O Reino Unido afirma categoricamente que o fundador do WikiLeaks está "se escondendo da Justiça".
Assange enfureceu os EUA ao publicar milhares de correspondências diplomáticas secretasReuters

"Isso é ridículo. É injusto que ele escape da Justiça", disse o Ministro das Relações Exteriores, Philip Hammond, em Londres, nesta sexta-feira. "Rejeitamos completamente qualquer alegação de que Julian Assange é uma vítima de detenção arbitrária. O Reino Unido já deixou claro à ONU que ira contestar formalmente a opinião do comitê", reiterou.

Assange, um hacker de computador que enfureceu os Estados Unidos ao publicar centenas de milhares de correspondências diplomáticas norte-americanas secretas, está abrigado na embaixada equatoriana desde junho de 2012 para evitar uma investigação de estupro na Suécia.

Grã-Bretanha e Suécia negam que Assange esteja sendo privado de liberdade, notando que ele entrou na embaixada voluntariamente.

O australiano recorreu à comissão da ONU, cuja decisão não é de cumprimento obrigatório, afirmando ser um refugiado político cujos direitos foram violados uma vez que não foi capaz de viajar ao Equador, país que lhe havia concedido asilo político.
Publicidade
*Com informações da Reuters