Por felipe.martins, felipe.martins
Rio - Pelo menos 51 pessoas morreram e mais 78 ficaram feridas em um duplo atentado suicida em um campo de refugiados em Dikwa, no estado de Borno, Noroeste da Nigéria, segundo a Agência Lusa, com base na imprensa local. O ataque não foi reivindicado, mas as suspeitas recaem sobre o grupo extremista Boko Haram, que nos últimos anos provocou a morte de milhares de pessoas.
O atentado ocorreu na última terça-feira. Os terroristas suicidas se infiltraram no campo quando as autoridades distribuíam o almoço, mas a notícia só foi divulgada ontem devido a falha no serviço de telecomunicação.
Publicidade
Apesar de não ter números oficiais, as pessoas do campo asseguram que 51 corpos foram enterrados em uma cova coletiva, a maioria mulheres e crianças. Outras nove pessoas morreram ontem na República dos Camarões, em um atentado suicida cometido por duas meninas com cerca de 13 anos, supostamente recrutadas pelo grupo nigeriano Boko Haram, segundo fontes locais citadas pela agência francesa EFE.
O Boko Haram quer instaurar um califado no norte da Nigéria, de maioria muçulmana, ao contrário do sul, de maioria cristã. A violência do Boko Haram e da sua repressão pelas Forças Armadas nigerianas causaram mais de 13 mil mortes desde 2009 e perto de 1,5 milhão de refugiados e deslocados.