Governo da Venezuela confirma três mortes por Zika

Na Austrália, governo anunciou o segundo caso de uma mulher grávida que foi infectada pelo vírus após viagem

Por O Dia

Venezuela - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou a morte de três pessoas no país em decorrência da contaminação pelo vírus Zika. "Foram 319 casos confirmados, dos quais 68 registraram complicações e, infelizmente, tivemos três mortes por zika em nível nacional", declarou, em pronunciamento realizado na noite da última quinta-feira, dia 11. Ainda de acordo com ele, foram registradas 5.221 suspeitas de contaminação pelo vírus no país desde o início de novembro.

OMS espera determinar vínculo entre Zika e microcefalia em semanas

"Quero agradecer especialmente aos governos e às embaixadas de Índia, Cuba, China, Irã e Brasil, que nos deram todo o apoio para que os remédios chegassem à Venezuela", acrescentou. Em meio a uma severa crise econômica, a Venezuela sofre a escassez de diversos medicamentos, o que, segundo especialistas pode agravar o surto.

Grávidas na Austrália

O governo da Austrália anunciou nesta sexta-feira o segundo caso de uma mulher grávida que foi infectada pelo vírus zika depois de ter viajado para o exterior. O outro caso também foi informado nesta semana.

A mulher, do estado de Victoria, foi diagnosticada com zika após retornar de um país onde o vírus tem sido transmitido pelo mosquito Aedes Aegypti, disse a ministra da Saúde de Victoria, Jill Hennessy. Ela se recusou a liberar quaisquer outros detalhes sobre o caso, incluindo o país que mulher viajou, citando a privacidade da paciente.

No início desta semana, uma mulher grávida no estado de Queensland também foi diagnosticada com zika depois de viajar para o exterior.

Zika na Colômbia

Na Colômbia, o segundo país mais afetado pelo surto da zika após o Brasil, foram registrados 25.645 casos, entre eles 3.100 são grávidas, mas nenhuma com bebês com microcefalia. Dados levantam discussão se o vírus estaria realmente associado com a má formação de fetos, como defende o Ministério da Saúde brasileiro. Autoridades da Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciaram que a maior parte das grávidas de países afetados pela zika deve dar à luz crianças sem problemas.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência