Cariocas gastam o maior tempo para ir ao trabalho

Ipea compara os deslocamentos nas regiões metropolitanas do país e mostra que Rio perde para São Paulo. Um quarto dos trabalhadores leva mais de uma hora

Por O Dia

Rio - Os cariocas já vêm reclamando há muito tempo do trânsito e dos transportes. Agora, eles ganharam mais um forte argumento: o Grande Rio tem o maior tempo de deslocamento de casa para o trabalho do país. É o que mostrou estudo do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), divulgado ontem. Os trabalhadores fluminenses levam, em média, 47 minutos para ir ao batente e 24,7% deles gastam mais de uma hora no trajeto.

Na média das regições metropolitanas do país, esse tempo é de 40 minutos e 18% dos brasileiros gastam mais de uma hora no percurso. De acordo com o pesquisador Carlos Henrique Carvalho, um dos autores do trabalho, a média é puxada para baixo pelos mais pobres, que, por não terem o dinheiro para o transporte público, são obrigados a conseguir trabalho em locais próximos à residência para ir a pé.

Praça da Bandeira%2C sentido Zona Norte%3A horas no trânsitoEstefan Radovicz / Agência O Dia

O aumento de 12%, nos últimos 10 anos, do tempo perdido se deve às políticas de incentivo ao automóvel e ao baixo investimento em transporte público, disse o pesquisador. A Grande São Paulo ficou em segundo lugar, com um tempo médio de 45,6 minutos e 23,5% perdendo mais de uma hora no deslocamento. “Historicamente, São Paulo investiu mais no transporte público. É só ver a malha de metrô dos paulistas e a dos cariocas. Além disso, a geografia do Rio não ajuda.”

Teste da Perimetral gera engarrafamento fora do rush

No teste de interdição da Perimetral realizado nesta quinta-feira, focos de congestionamento na Avenida Rodrigues Alves e na Via Binário complicaram a vida de quem seguia para o Centro. À fim de diminuir a lentidão, intervalos dos sinais da Via Binário foram alterados. Para as interdições que serão realizadas no fim de semana, entre 14h e 17h, serão instaladas novas placas de sinalização. O BRS que liga o Elevado Paulo de Frontin à Avenida Almirante Barroso, no Centro, também foi inaugurado ontem. O tempo de viagem no trecho diminuiu 21%, segundo a prefeitura.

Gráfico mostra que cariocas gastam mais tempo para ir o trabalhoArte%3A O Dia

CDURP defende demolição imediata

Alvo de críticas e questionamentos populares, a demolição do Elevado da Perimetral antes da conclusão das obras do Túnel da Via Expressa (apresentado como alternativa) é defendida pelo presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto, Alberto Silva.

De acordo com ele, as obras subterrâneas e de urbanização na Rodrigues Alves seriam inviáveis sem a derrubada. “Por baixo da terra, existe a estrutura do elevado, que impediria as escavações e obras de drenagem e de urbanização.

Últimas de _legado_Observatório da Mobilidade