Aplicativo ajuda carioca a não dormir mais no ponto

Tecnologia usa dados de GPS dos ônibus e mostra, em tempo real, onde estão os veículos e o momento de ir embarcar. No teste feito pelo DIA, porém, ocorreram falhas

Por O Dia

Rio - Uma nova tecnologia pretende amenizar a agonia de quem perde horas nos pontos de ônibus. Conectado aos aparelhos de GPS dos coletivos urbanos da cidade desde quinta-feira, o aplicativo para smartphone Moovit promete avisar, em tempo real, onde está o veículo aguardado ansiosamente. Com isso, os passageiros poderão se planejar para chegar na parada na hora certa de embarcar.

Este sonho de muitos cariocas ainda depende, no entanto, de ajustes e melhorias para se tornar realidade. O DIA testou o sistema na quinta e sexta-feira passada e descobriu falhas, como sugestões de linhas inexistentes, assim como muitos ônibus que passavam na rua e não eram mostrados na tela.

Na Riachuelo%2C no Centro%2C um ônibus da linha 433 chega na hora indicada no smartphone. Alguns coletivos%2C no entanto%2C não apareceram na telaAndré Mourão / Agência O Dia

A plataforma desenvolvida pela empresa israelense Moovit, que já existe em 65 cidades do mundo, funcionava no Rio e em São Paulo desde o primeiro semestre, mas sem as informações dos GPS dos coletivos. Este avanço é que tornou a ferramenta mais precisa e útil na luta contra o tempo perdido.

Questionada sobre as falhas, a Moovit informou, por meio da assessoria de comunicação, que o aplicativo está em fase inicial e que ainda precisa de ajustes. A empresa alegou também que o programa não tem ainda, em sua base de monitoramento em tempo real, 100% da frota carioca, o que só deve acontecer em um mês. No momento, apenas de 50% a 60% dos veículos estariam acompanhados por GPS pelo aplicativo, que pode ser baixado gratuitamente da internet.

A Secretaria Municipal de Transportes e a Fetranspor informaram que toda a frota da cidade já está equipada com GPS e que os dados dos ônibus são enviados para o Centro de Controle de Operações Rio, de onde o aplicativo, ainda em fase de ajustes, se abastece de dados.

Programa ainda precisa de ajustes - Nelson Vasconcelos, colunista de Tecnologia do DIA

O Moovit é um aplicativo simples e bem esperto. A colaboração do usuário, que alimenta o sistema com suas informações, é seu ponto forte. Mas ainda faltam ajustes. O aplicativo indicou linhas que não existem e deixou de mostrar ônibus que estavam a dois metros da gente. Isso ocorre, por exemplo, quando os veículos estão com o GPS desligado, contrariando a lei.
O app ainda tem que rever suas fontes para corrigir erros que podem desorientar o usuário.

Um exemplo, entre tantos: ele localiza em Botafogo a rua Almirante Alexandrino, que fica em Santa Teresa. Outro problema é que o Moovit exige muita bateria do smartphone. E outro inimigo é o sinal 3G das operadoras, que nem sempre está disponível.

Portanto, não dá para confiar totalmente nem no app, nem nas operadoras, nem nas empresas de ônibus. E, já que lidamos com tecnologia de Primeiro Mundo em pontos de ônibus do Terceiro Mundo, todo cuidado é pouco na hora de exibir seu smartphone para usar o app. Recomenda-se um olho na missa, outro no padre.

Últimas de _legado_Observatório da Mobilidade