Por thiago.antunes

Rio - Dois projetos no estado prometem inaugurar no país um novo padrão de serviço de ônibus de luxo para convencer os motoristas a deixarem o carro em casa e optarem pelo transporte público. Com previsão para começar até junho, o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) será o primeiro do Brasil a oferecer veículos com poltronas reclináveis, tradução bilíngue, ar-condicionado e espaço para bagagem em um sistema de BRT. Em princípio, farão apenas o trajeto para a Barra da Tijuca, pelo futuro corredor Transcarioca.

Ônibus especial ligará Galeão à Barra pelo Transcarioca. Já Niterói planeja primeiro sistema BHLS do paísDivulgação

Niterói não ficará atrás. Já no primeiro trimestre lança o edital para as obras que farão da cidade a primeira do país a incorporar o sistema europeu chamado de BHLS (sigla em inglês para ônibus de serviços de alto nível). Entre outras novidades, os ônibus terão portas nos dois lados, piso baixo e serão refrigerados. Eles farão linha das estações das barcas à Região Oceânica pela futura Transoceânica, que terá 13 estações. 

De acordo com o presidente da ONG Embarq no Brasil, Luis Antonio Lindau, os dois projetos reafirmam que o Rio está se tornando vitrine mundial em termos de mobilidade urbana. “Não adianta mudar apenas os ônibus, tem que reformular o tráfego”, disse.

Conceitos diferentes

O presidente da Federação das Empresas de Transporte do Estado (Fetranspor), Lélis Marcos Teixeira, acredita que, para incentivar que as pessoas deixem o carro em casa e use os ônibus é, realmente, fundamental oferecer mais qualidade. “Um ônibus pode oferecer mais conforto do que o carro de passeio. É possível disponibilizar até internet. Tem também emissão mais baixa de poluentes, ar-condicionado, motor eletrônico, suspensão a ar, computador de bordo …. isso sem contar a previsão de chegada, por causa do GPS”, conta.

A diferença entre o BHLS para o BRT é de concepção. Este último tem uma via exclusiva para os ônibus articulados e os veículos não podem rodar fora delas. Já o veículo BHLS pode circular pelas vias segregadas e sair para as ruas do tráfego convencional, conseguindo maior capilaridade e atingindo os diversos bairros de uma cidade. “A grande vantagem do BHLS é que ele é flexível”, comentou Lindau.

Serviço deve começar antes da Copa

O secretário Municipal de Transportes do Rio, Carlos Roberto Osório, informou que o “ônibus VIP”, como foi chamado, deverá entrar em operação antes da Copa. Em princípio, ele custará o mesmo valor que o coletivo convencional.

“É comum os passageiros que chegam de uma viagem aérea pegarem um táxi. Outra coisa que sempre acontece é que parentes ou amigos busquem as pessoas de carro. Agora, vamos dar outra opção. A área interna dos ônibus terá características especiais, mas tudo isso ainda está sendo estudado”, disse, lembrando que o Transbrasil, pode garantir o serviço do Santos Dumont ao Galeão. Para os ônibus especiais do Transcarioca as gravações de áudio terão a voz de Iris Lettieri, a mesma do Aeroporto Internacional.

Niterói já tem recursos para o BHLS

O subsecretário de Transporte e Trânsito de Niterói, Paulo Afonso Cunha, adiantou que já existe verba disponível para as obras do BHLS, cerca de R$ 300 milhões. “Vamos oferecer o que há de melhor. Niterói vai ser um modelo de conforto e segurança nos ônibus”, disse. Os veículos vão circular nos bairros da Região Oceânica até entrar na nova via expressa (Transoceânica), que seguirá até a estação das barcas em Charitas.

O novo modelo será acompanhado da reorganização das linhas de ônibus. Para a racionalização, algumas delas poderão ser extintas e outras criadas. Os novos ônibus devem ser comprados pelas próprias empresas, já que a renovação da frota já estava prevista anteriormente para este período.

Você pode gostar