Por marlos.mendes
Rio - Em plena crise hídrica enfrentada pelo estado, o setor rodoviário mostra que é possível pensar em alternativas para poupar tal recurso natural e ainda com melhorias no processo
de limpeza. A prática do resúso de água na lavagem dos ônibus, por exemplo, está aprimorada ao ponto de não necessitar mais de xampu durante a limpeza. É o caso de garagens que usam uma rede de tratamento, com elementos biológicos, como Transporte Barra e Braso Lisboa. Graças ao sistema, que vem sendo implantado há uma década, a economia é de aproximadamente 93% nas lavagens das composições, que seria correspondente, em média, ao reaproveitamento de 83 a 84 mil a cada 90 mil litros de água, que seriam utilizados para lavar 300 carros, inclusive BRTs, na Transportadora Barra. Sem o resíduo químico do xampu, por exemplo, a água também permite uma redução na manutenção de itens como pintura, que com o tempo, seria necessária caso utilizasse o produto. Mais de 20 empresas de todo estado do Rio já usam o sistema de tratamento biológico da água, dentre elas Pégassos e Nossa Senhora de Lourdes.
Sistema biológico permite que mais de 90% da água utilizada na lavagem de veículos da Transportadora Barra seja reaproveitada Carlos Moraes / Agência O Dia

De acordo com o gerente de Planejamento e Controle da Fetranspor, Guilherme Wilson, se considerar também o sistema tradicional de resuso da água, 70% das empresas rodoviárias do estado do Rio já estão equipadas com instalações sustentáveis e pode chegar a totalidade em até três anos. "Nossa preocupação vem de antes da crise hídrica e está avançando a cada ano", comentou Wilson.

No sistema mais tradicional, a Auto Viação Salineira, que tem sede em Cabo Frio, possui uma estação de tratamento para reuso da água nas lavagens de ônibus. O processo funciona da seguinte forma: Após ser utilizada em processos industriais, a água é tratada na estação para ser utilizada apenas para a lavagem das composições e demais equipamentos.

A medida permitiu que não se gastasse água potável da companhia. "Com a Estação de Tratamento de Água, diminuímos o desperdício e melhoramos o processo de lavagem da frota. É ótimo para todos porque economizamos água para consumo humano e a natureza agradece”, Jorge Ferreira, responsável pela manutenção da Estação de Água.Estima-se que a economia hídrica, referente às lavagens dos ônibus, seja de até 55%.

Na Região dos Lagos, o reaproveitamento da água utilizada em processo de limpeza proporciona redução de 55% do consumoDivulgação

Outras empresas como Viação Pendotiba, Flores e a Auto Viação 1001 também integram a lista das empresas que têm outras estações de tratamento de água já há algum tempo. Em outros estados, como São Paulo e Santa Catarina, estações similares também conseguem captar de 80 a 90% da água que seria jogada fora. 

Além disso, a Transportadora Barra ainda reaproveita água da chuva na rede de incêndio e também na limpeza dos ônibus, através de uma sistema integrado a canaletas instaladas em telhados de dois galpões. Em época de chuva, a captação chega a 150 mil litros.
Publicidade