Por marlos.mendes

Rio - Com mais de 90% de usuários de ônibus que utilizam a bilhetagem eletrônica, Cuiabá (MT) se torna exemplo de como a tecnologia pode também ajudar na segurança pública. Implantado desde 1991, o sistema de pagamento da passagem via cartão hoje já em 94% na cidade mato grossense e é a aposta para acabar com a circulação de dinheiro no transporte público. A medida foi intensificada em agosto de 2011 e obteve, como resultado, a diminuição em 90% no número de assaltos a ônibus.

Redução de assaltos a ônibus foi de 90% após a população de Cuiabá usar o cartão massivamente Divulgação / NTU

Além disso, o percentual alto da adesão da população à bilhetagem eletrônica também influenciou no tempo de embarque, onde de dez minutos, passou a ser 30 segundos, segundo a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU). 

O cartão também permitiu economia em fraudes e mau uso, cujos custos seriam repassados ao consumidor através do preço da passagem. De acordo com o presidente da Assetur, João Rezende, houve redução de 10 milhões para 7 milhões de viagens gratuitas ao ano feitas por estudantes beneficiários.

Os embarques ficaram mais ágeis com a implantação de estações para compra e recarga de cartões Divulgação

Mesmo com a medida sendo adotada obrigatoriamente, para o promotor de Justiça Aroldo Lima, do Ministério Público Estadual, que participou do processo de implantação, a segurança dos trabalhadores e usuários foi determinante. “Não há passagem que pague uma vida e a segurança do transporte do passageiro. Inconstitucional é perder a vida, é a insegurança que vinha acontecendo”, comentou Lima, que completou que houve uma resistência inicial, porém, após audiências públicas, a então novidade já tinha 72% de aprovação da população. 


Você pode gostar