Ônibus pega carona no ritmo de balada

Coletivos são transformados em pistas de dança itinerantes, com direito a DJ, decoração especial e drinks na viagem

Por O Dia

Rio - O que pelo menos 35 pessoas podem fazer em um ônibus? Se fosse num coletivo comum, possivelmente algumas estariam cochilando, outras escutando música no fone de ouvido ou teclando no celular. Mas em veículos especiais, que geralmente rodam à noite, elas fazem festa, com direito a DJ, decoração especial, comes e bebes. Tudo isso em movimento ou no engarrafamento! O "ônibus balada" virou febre para aniversários, bodas, despedidas de solteiros e eventos em geral.

Apesar de ainda despertar muita curiosidade, o serviço de balada itinerante é oferecido pela empresa Festbus há dez anos no Rio. Os veículos utilizados nas festas são os mesmos modelos de ônibus de aeroporto. Sócia diretora da marca, Marta Magge conta que os coletivos são transformados em verdadeiras pistas de dança.

Ônibus de aeroporto são transformados em baladas itinerantes na FestbusDivulgação

"Os assentos são retirados e dão lugar a bancos forrados encostados nas janelas e virados para o que antes era o corredor. No fundo do veículo tem um banheiro, o bar e a cabine do DJ. No meio do ônibus, pista de dança em LED e, por todo o seu interior, equipamento profissional de boate com caixas de som amplificadas abaixo dos bancos", revela.

Como os ônibus têm proteção acústica, o som não vaza, mas os jogos de luzes e a ornamentação colorida chamam atenção de qualquer um que passa na rua. O cliente pode escolher o roteiro de sua preferência para o evento. Os preços variam de acordo com os pacotes de serviços escolhidos, podendo variar de  R$ 2.400 a R$ 5.900. A empresa tem veículos de 35 e 55 lugares e conta com parceiros para eventos em São Paulo, Salvador e no Distrito Federal.

A auxiliar administrativa Lívia Neto comemorou o último aniversário, de 35 anos, no Festbus. Ela marcou um local de encontro com os convidados em Niterói, onde mora. O grupo passou por vários pontos do Rio dentro do ônibus balada e, no final, retornou ao ponto de partida.

"Paramos na Lapa, ficamos um pouco nos barzinhos e depois fomos para a Praia do Arpoador. Quando a gente descia do ônibus, todo mundo do lado de fora queria entrar para conhecer e tirar fotos. Mas a graça mesmo era ficar dançando dentro do ônibus", diz ela, que escolheu o tema de discoteca para sua festa.

Em quatro horas de festa, Livia e os amigos saíram de Niterói e foram à Lapa e ao Arpoadorarquivo pessoal


Últimas de _legado_O Dia no Coletivo