Por gustavo.ribeiro
A história de André de Jesus ficou conhecida através do projeto Histórias que Movem a Vida, da FetransporDivulgação

 Rio - "Meu nome é André de Jesus, tenho cinquenta anos de idade e trabalho como rodoviário há um ano e meio. Passei cinco meses como cobrador e agora sou motorista". Essa é só uma parte da história de André, que teve a vida transformada pelo transporte. Depois de ter se recolocado no mercado de trabalho, agora ele sonha com o diploma de advogado.

André trabalhou como representante comercial por dez anos, mas as vendas caíram e ele foi demitido. Com os estudos interrompidos desde a quinta série, o rodoviário conheceu um amigo que trabalhava em uma empresa de ônibus. Certo dia, foi até lá em busca de um sonho de criança: tornar-se motorista.

"Ele me perguntou se eu tinha carteira de habilitação, mas eu só tinha a de motorista amador. Aí ele me disse: 'Você vai precisar de uma carteira classe D. Se quiser, pode entrar aqui como cobrador. À medida que você for se destacando, pode se capacitar para ser motorista.' Aceitei o desafio", conta ele.

Segundo André, a empresa o incentivou não só a se preparar para a carreira de motorista de ônibus como o ajudou a retomar os estudos. "Trabalhando como cobrador e cursando autoescola para ser motorista profissional, estudei à noite para completar o Ensino Fundamental. E já iniciei o Ensino Médio, dentro da empresa, fazendo telecurso."

O curso de Ensino Médio realizado por André dentro da empresa é um convênio da Universidade Corporativa do Transporte (UCT), da Fetranspor, com a Secretaria de Educação, os sindicatos de rodoviários e os sindicatos das empresas. Durante cinco meses, além da autoescola e do exame para mudar de categoria, ele treinou dentro da garagem e, depois, na rua, para ser promovido a motorista de ônibus na empresa.

Enfim motorista, André aproveitou os conhecimentos transmitidos em outros programas da UCT voltados para a formação de motoristas de ônibus e ainda participou da criação do Código de Conduta da profissão. A próxima meta dele é cursar a faculdade de Direito e realizar mais um sonho.

"Eu quero conciliar a profissão de motorista com a faculdade de Direito. Este é o meu primeiro passo nos próximos cinco anos da minha vida: ser um motorista de ônibus que conseguiu, mesmo com dificuldades e com a idade, me formar em uma faculdade. Ser um profissional que venceu fazendo o que gosta. Para mim é o mais importante."

A história de André ficou conhecida através do projeto "Histórias que Movem a Vida", da Fetranspor, que visa compartilhar com a sociedade relatos de pessoas que tiveram suas vidas transformadas por iniciativas ou boas práticas ligadas ao transporte.

Saiba mais sobre o projeto Histórias que Movem a Vida

Você pode gostar