Xandrinho: SOS Baixada

A violência está tomando conta da região

Por O Dia

Rio - A violência está tomando conta da Baixada. A região, que engloba 13 municípios e tem cerca de 3,5 milhões de habitantes, está carente de atenção. Enquanto no Estado do Rio foram implantadas 33 Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), em cinco anos, distribuídas pela capital, a região de Nova Iguaçu, Mesquita e Nilópolis, com mais de 1,5 milhão de moradores, conta com apenas 700 policiais, média de um para cada 1.544 pessoas.

A chegada das UPPs às comunidades do Rio complicou a situação do povo da Baixada. O secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame, parece não conhecer, e pior, ignorar um quadro crescente de violência na região, cujos municípios precisam de mais investimentos no setor. Enquanto cariocas caminham esperançosos pelas ruas, a população periférica está cada vez mais refém dos bandidos que migraram para cá.

O Instituto de Segurança Pública aponta que ocorreram 259 homicídios entre janeiro e fevereiro deste ano na Baixada, aumento de 33,5% em relação ao mesmo período de 2012. Já os casos de roubos a residências cresceram 52,3%. O número de estupros é ainda mais preocupante: a cada 5h15, uma mulher é estuprada na Baixada. Nova Iguaçu e Caxias estão no topo da lista.

Devido às falhas de planejamento do atual governo, eu solicitei, há mais de um ano, a instalação de um batalhão em Nova Iguaçu à Secretaria de Segurança Pública. O mais próximo fica em Mesquita e não supre a necessidade das regiões atingidas pelo abandono. Na época, o chefe de gabinete, Marcelo Montanha Souza, respondeu que procedimentos estavam sendo adotados. Um ano depois, nada melhorou, pelo contrário, piorou.

Deputado estadual pelo PV

Últimas de _legado_Opinião