Por thiago.antunes

Rio -  A hipertensão arterial é a maior causa de mortes no Brasil. Embora silenciosa, atinge mais de 30% da população adulta e, se não tratada, reduz a expectativa de vida em 16 anos ou mais.Em mais de 90% dos casos, não tem cura, mas pode ser controlada com redução do consumo de sal, dieta equilibrada, atividades físicas regulares e controle do peso.

A maioria dos hipertensos necessita utilizar medicamentos, que tomados continuamente são capazes de controlar a pressão e proteger órgãos como coração, cérebro, rins, olhos e artérias, reduzindo os riscos de complicações e aumentando a expectativa de vida mesmo daqueles que não conseguem adotar um estilo de vida ideal.

A cada ano, morrem 7,6 milhões de pessoas no mundo devido à hipertensão, principalmente, entre 45 e 69 anos. A hipertensão é responsável por 54% dos acidentes vasculares cerebrais (derrames) e 47% dos enfartes, as duas principais causas de morte no país. A doença pode causar ainda insuficiência renal, demência, cegueira, disfunção sexual e vários distúrbios da circulação, como aneurismas e gangrena.

No Brasil, ocorrem 320 mil mortes anuais por doenças cardiovasculares, mais da metade delas atribuídas à hipertensão, que representam duas vezes mais que os óbitos causados por todos os tipos de câncer, três vezes mais que aqueles devidos a acidentes e violência e seis vezes mais que os atribuídos a infecções, incluindo a Aids. Doze por oito é a marca do coração saudável; o nível ideal da pressão arterial. Valores abaixo de 14 por 9 podem ser considerados adequados em alguns casos, a critério médico.

‘Eu sou 12 por 8’ é o nome da campanha de alerta e conscientização, desenvolvida pelo Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia. A ação visa a superar os baixos índices de controle da doença em nosso meio, que atualmente situam-se em torno de pífios 10% da população afetada.

‘Eu sou 12 por 8, Eu Quero Viver Mais’ é o lema deste ano e no site www.eusou12por8.com.br é possível obter mais informações sobre a doença e a participação dos embaixadores. Já vestiram a camiseta da campanha Samuel Rosa, Bel Marques, Ney Matogrosso, Natália Guimarães, Lázaro Ramos, Carolina Ferraz, Guilhermina Guinle, Caio Castro, Paloma Bernardi e Letícia Sabatella, entre outros. O conhecimento e o controle da hipertensão são as melhores e mais simples receitas para quem não quer morrer cedo.

Marcus Vinícius Bolívar Malachias é cardiologista e coordenador da campanha ‘Eu sou 12 por 8’ da Sociedade Brasileira de Cardiologia

Você pode gostar