Karla Rondon Prado: Os desserviços cariocas

Brincam com seu tempo e dinheiro e, diante do cancelamento, tripudiam da sua boa vontade

Por O Dia

Rio - 'Você que trabalhou com eles, eles não têm interesse em botar mais uma linha telefônica, para atender melhor os clientes, não? Ia chover pedido, já chove”. A resposta veio rápido: “São os serviços no Rio, estão te fazendo um favor”. Descrição perfeita para uma cidade que ainda tem muito o que crescer para se orgulhar de receber Copa e Olimpíada.

Impressionante o descaso dos prestadores com os consumidores, que deveriam ter sempre razão, mas não. Da empresa de telefonia a um pedido que veio faltando algum item, se você ameaça reclamar e diz que vai cancelar, uma voz prepotente responde do outro lado: “Então cancela, ok”. E desligam, deixando a pessoa no vácuo, nem aí para um cliente a mais ou a menos. É constrangedor.

O pedido é detalhado: pizza com tomate e alho na massa fina. Chega uma com calabresa, cebola e borda de catupiry. O consumidor liga para a pizzaria e ouve: “Não dá para comer essa não?”

A encomenda é cara e feita com antecedência em ocasião de um aniversário: chega faltando o bolo. O atendente se prontifica a mandar outro, e você aceita para não se aborrecer mais, afinal, tinha um limite de horário para a comemoração. O fornecedor fica a 15 minutos do seu endereço, mas, passada uma hora, nada de a entrega acontecer. Ao telefone, escuta: “Estamos preparando, pois é congelada e ainda vai demorar meia hora até aí, pois serão necessários mais 15 minutos para sair da loja”. Brincam com seu tempo e dinheiro e, diante do cancelamento, tripudiam da sua boa vontade: “Tudo bem, estamos cancelando. Posso ajudar em mais alguma coisa?”

Nessas horas dá muita, muita vontade de perder a classe.

As flores tinham que chegar a tempo, pedidas pela internet. São entregues três dias depois, murchas e detonadas, o homenageado já achando que foi esquecido. Transtorno financeiro e emocional. Mas o serviço é paulista, e pelo menos se importam com você, num atendimento impecável. “Sabemos que a data é mais importante, que nosso compromisso é com a emoção...” Te dão toda razão e ainda te devolvem o dinheiro. Você quase pede desculpas por ter reclamado. Mas esse é o certo. No mínimo. Estamos nos acostumando a ser maltratados e achando tudo normal. Vamos reagir.

E-mail: karlaprado@odia.com.br

Últimas de _legado_Opinião