Por bferreira
Rio - Por que é que mulher tem tanta bolsa? Compra tanta bolsa? Não pode ver uma bolsa? Sim, eu sei, tem aquelas que preferem sapatos. E estas, como aquelas, também não podem ver um par deles que enlouquecem, vivendo a mesma compulsão. Por que é que a gente, de modo geral, adora ter, acumular, comprar? Usar mesmo não se usa nem um terço do que se tem. Nem dá tempo. E há o medo de descartar e um dia precisar. Mas na hora de um evento especial, tipo uma festa, um casamento, e a mulher pode, compra outra bolsa. E se não pode sempre arranja um jeito de comprar e volta pra casa com um novo carnê. E isto vale também para sapatos. E, claro, existem as mais exageradas dentre todas, como Imelda Marcos, a ex-primeira dama das Filipinas, que chegou a adquirir três mil pares de sapatos, descobertos quando o casal foi expulso de seu país. Aliás, existe um museu por lá, com 765 pares da coleção desta senhora. Por aqui também não é muito diferente.
Há casos muito divertidos, como o de uma amiga que é colecionadora dos dois itens e que, outro dia, num jantar, me disse que mudou muito, agora não usa mais sapatos altos, agora só usa tênis e compra de todas as marcas. Os mais divertidos, então, não lhe escapam. Mas eu ainda me lembro bem da primeira vez que fui à casa dela, e ela me mostrou sua coleção de sapatos. Estavam todos em caixas, devidamente identificadas, com fotos, para deixar ver as peças, em estantes impecavelmente arrumadas, no ex-quarto de empregada que ela transformou para acomodar seus pertences mais queridos.
Publicidade
Fico com vergonha de perguntar se os tênis estão convivendo bem com os saltos altos de antigamente. Eu sei também que se você, leitor, é homem, vai estranhar muito esta mania feminina e vai achar que é loucura minha. Mas, se prestasse atenção à sua volta, veria que a busca da bolsa perfeita e do sapato mais bonito não é só coisa de perua que sai no jornal. À sua volta, deve ter uma mulher com a mesma mania e a mesma agonia. Aliás, os homens esnobam a gente, quando reclamamos da falta de espaço nos armários, dizendo que, se compram uma camisa, tiram outra do armário, nos acusando de acumuladoras. Mas quem é que repara nos sapatos deles?
Publicidade
Quase sempre oscilam entre o marrom e o preto e, se não aparecer uma mulher para sugerir um novo par, continuam usando o mesmo até furar. Quanto às bolsas, eles nunca conseguiram gostar nem se acostumar com elas, para uso próprio. Quanto a mim, estou às voltas com algumas dezenas delas sem saber o que fazer, onde achar espaço para guardar e sonhando com uma bolsa preta e branca, destaque da estação.
Leda Nagle é jornalista, escritora e apresenta na TV o ‘Sem Censura’