Por tamyres.matos

Rio - Tudo pronto para o Réveillon? Roupa escolhida? Local definido? Sonho sonhado? Esperança renovada? Vai dar pra ficar alegre como você gostaria e planejou? Ou vai ter que fazer uma cara feliz para agradar a todos que esperam que todos estejam muito felizes na passagem do ano? Vai dar para ir à melhor festa do mundo, ou será que vai ser como todas aquelas que você espera muito, se prepara intensamente, fica ansiosa e, na hora H, descobre que o melhor da festa foi mesmo esperar por ela? É que nem filme que a gente vai ver depois de ter lido o livro e se apaixonado pela história. O filme é sempre pior que o livro. É fatal.

Mas voltando ao evento de passagem de ano, é uma festa especial porque é a festa da esperança de um tempo melhor, de um mundo mais leve e de uma vida mais feliz. São tantos desejos em todas as áreas, no amor, no trabalho, na família, nas finanças, na saúde. Mas são muitas também as recomendações. Comer sete uvas, não se esquecer da lentilha, não comer nada que cisque porque isto não traz sorte pra vida da gente. Além de usar branco em nome da paz, tem que ter algum detalhe em amarelo por conta do dinheiro fundamental para o ano todo, há que levar palmas pra Iemanjá, pedir a Xangô um ano de paz e realizações (pai Paulo de Oxalá garante que o ano é dele) dizer o mantra do Gilson Chveid Oen, na hora da virada e repetir sempre que lembrar durante todo o ano :“FENOMENAL 2014”.

Aliás ele até criou uma espécie de passaporte com os mantras para todas as ocasiões. Mas antes de se deixar levar pelas loucuras da festa é preciso seguir também alguns conselhos do nutrólogo João Curvo, homem sensato, que sempre nos lembra que o mundo não vai acabar, é preciso tomar muita água e fazer das frutas e hortaliças as nossas maiores aliadas para não ter que, nos dias seguintes à festa, ficar pagando indefinidamente a conta pelos excessos cometidos. E isto vale para os 365 dias do ano. João tem uma frase que eu adoro, embora eu não seja o melhor exemplo a seguir.

A frase é “o que engorda não é que se come ou se faz do Natal ao Ano Novo e sim o comportamento que se tem do Ano Novo ao Natal”. E isto vale para os desejos e metas do novo tempo que se aproxima. A psicóloga Márcia Modesto defende que é preciso estabelecer metas nas áreas fundamentais da vida , olhar pra frente, projetar sonhos e avaliar, com sinceridade, se a pessoa está realmente tendo atitudes construtivas. Não adianta só achar que mudando o ano muda tudo. Mas que a gente pode mudar e melhorar,é fato. Então, ficamos combinados assim: Feliz ano novo para todos nós!

Você pode gostar