Carlos Alberto Cacau de Brito: Não precisamos de caças

Celso Amorim e Juniti Saito reuniram a imprensa para falar sobre o encerramento da concorrência internacional que já movimentava os lobbies da indústria aeronáutica por 15 anos

Por O Dia

Rio - O ministro da Defesa e o comandante da FAB anunciaram a compra de 36 aviões Gripen GN, de fabricação sueca, a um custo de 4,5 bilhões de reais. Celso Amorim e Juniti Saito reuniram a imprensa para falar sobre o encerramento da concorrência internacional que já movimentava os lobbies da indústria aeronáutica por 15 anos. Estavam radiantes; afinal, conseguiram levar a presidenta a tomar uma decisão deste porte antes do ano eleitoral e, de quebra, ainda ajudaram o governo a se vingar dos Estados Unidos, pois ninguém engoliu a espionagem americana.

Nós, cidadãos-eleitores, que pagamos os maiores impostos do planeta para ter serviços de Saúde, Educação e transporte de terceiro mundo, agora estaremos gastando estes bilhões e tantos outros que serão somados ao montante inicial (é só olhar para o valor das obras públicas no projeto e depois, durante a execução do contrato), para termos aviões que podem levar até cinco toneladas de bombas e mísseis ultramodernos! Que bom! Agora vamos poder falar mais grosso com a Argentina, Venezuela e Peru. Ou, talvez, quem sabe, alguém acredite que o Brasil será invadido por uma grande potência. Se isto acontecer, será que estes aviões poderão nos proteger dos drones e tantas outras tecnologias de guerra do primeiro mundo? Os leitores acima de 50 anos se lembram muito bem da Inglaterra engolindo as Ilhas Malvinas em uma guerra insana, insuflada pelo governo militar argentino.

Vivemos um tempo de valorização da diplomacia e de organismos como a ONU, por um lado. Por outro, o orçamento diz que faltam recursos para investimentos sociais. Então, nosso país precisa fazer uma opção pela vida e cuidar da sua gente.

No Natal, 15 mil capixabas saíram de casa por causa das chuvas. No Estado do Rio, nem as vítimas da enchente de 2011 tiveram suas vidas normalizadas até o momento. Motivo: falta de recursos! Na Saúde, o Brasil precisa disponibilizar 296 mil leitos que ainda não existem. E as creches anunciadas que continuam no papel?

As nossas Forças Armadas poderiam aproveitar este início de ano e anunciar o cancelamento da compra. Seria um grande presente para esta Nação de quase 10 milhões de analfabetos absolutos e de cidadãos que morrem aos milhares nas filas de hospitais, ou dentro de ambulâncias a caminho da cidade mais próxima por falta de recursos onde moram.

Advogado e presidente do Movimento Rio pede Paz

Últimas de _legado_Opinião