Editorial: Reverter a onda de roubos de carro

Traçar estratégias de segurança pública requer habilidades: é preciso observação atenta ao que acontece nas ruas e agilidade para mover os recursos necessários em tempo hábil

Por O Dia

Rio - Traçar estratégias de segurança pública requer habilidades: é preciso observação atenta ao que acontece nas ruas e agilidade para mover os recursos necessários em tempo hábil. No fim do ano passado, os índices de criminalidade subiram de modo expressivo. Hoje, O DIA se debruça em parte dessa estatística: o roubo de carros. De janeiro a setembro de 2013, três motoristas foram atacados por hora. Números impressionantes que apontam para dois desafios: o patrulhamento ostensivo e a investigação da interceptação do material roubado.

A polícia afirma estar se esforçando no combate a ferros-velhos. Só no ano passado foram fechadas dúzias de estabelecimentos irregulares. É preciso ir além. A julgar pelos registros — mais de 20 mil veículos roubados —, existe uma indústria do furto muito maior. É primordial estrangulá-la: os crimes que a sustentam são dos mais lucrativos e fazem girar a sinistra roda das armas. Para atacar motoristas, precisa-se de pistolas e fuzis; com os proventos das investidas, garantem-se mais munição e armamento ainda mais pesado. Escalada que pode configurar grave ameaça para o projeto de pacificação — calcado, basicamente, na redução do poderio bélico dos traficantes. O estado, que tanto avançou nessa área, não pode correr o risco de viver um retrocesso.

Cabe, mais uma vez, apelar para um reforço no policiamento de rua, componente indispensável no combate aos roubos de automóveis. Distribuir os efetivos, que nunca são o suficiente, pelas ruas é um complexo jogo de tabuleiro que muda a cada hora. Nesse campo, destacam-se duas ações exitosas da polícia. Uma, contra os arrastões nas praias, com presença maciça das forças de segurança nas areias. Outra é o Lapa Presente, união de esforços em diferentes esferas que está estancando a onda de violência no bairro.

Roubo de carro é crime que traumatiza e, muitas vezes, na crueldade de quem o pratica, letal ou mesmo mortal. É um dever reverter essa onda.

Últimas de _legado_Opinião