Por bferreira

Rio - Muita coisa não funciona bem no atendimento médico público no Brasil. Não é novidade nenhuma. Esta é uma área em que precisamos melhorar muito. É urgente e preocupa há décadas. Mas algumas coisas nesta área nos surpreendem ainda mais. E a alta existência do número de casos de tuberculose é uma delas. Numa lista da Organização Mundial de Saúde, 22 países são responsáveis por 90% dos casos de tuberculose registrados no mundo. O Brasil está entre eles. E dentre as cidades brasileiras o Rio de Janeiro está em segundo lugar no número de doentes. Só perde para Manaus. A doença está associada à pobreza, à falta de saneamento básico e à má alimentação, daí a incidência maior em países da África, Ásia e América Central e do Sul.

No Brasil, 50% dos casos estão nas regiões Norte, Nordeste e Sudeste. Nas regiões Sul e Centro Oeste, a incidência cai. Temos um programa de atendimento público ao doente, tido pelas autoridades médicas como muito bom. O remédio é dado gratuitamente nos postos de saúde. Com 15 dias de tratamento, a pessoa não transmite mais a doença Em seis meses, fica curada. Mas se a pessoa infectada não se trata contamina, no mínimo, três pessoas, à sua volta. A doença tem cura. Então por que não resolvemos isto? Esta é uma pergunta difícil de responder. E alguma resposta, como a demora do diagnóstico é uma delas. Leva-se em média três meses para detectar a doença. Por que? Porque não levamos em consideração uma coisa simples: a tosse.

A tosse não é normal, não é uma bobagem que dá e passa. É sintoma de alguma coisa e é deixada de lado, erradamente, em muitos casos. Claro que nem toda tosse é tuberculose. Mas como dizem os pneumologistas, se você está tossindo e não engasgou tomando água ou engolindo um corpo estranho é sinal de que algo não vai bem. E se já dura duas a três semanas, não pode ser ignorada de jeito nenhum.

E a tosse pode ser sinal de refluxo gástrico, de problemas cardíacos, de asma, sinusite e outras itens, mais ou menos graves. Outra coisa preocupante na questão da cura da tuberculose é o compromisso com o tratamento. É preciso que o doente faça o tratamento até a cura. E como logo no primeiro mês os sintomas, como a tosse, o cansaço físico e alguma febre à tarde ou à noite, suor noturno sem temperatura quente, e perda de peso sem explicação desaparecem, daí o doente acha que está curado e para de tomar os remédios. E recomeça o processo. Como estamos no outono, tempo de gripes e resfriados, é melhor ficar atento para evitar maiores problemas.


Você pode gostar