José David da Silva Moraes: Previdência no Leão

Vale ressaltar que para quem utiliza o formulário simplificado é mais interessante a contratação de um VGBL

Por O Dia

Rio - Quando chega a hora de preparar a declaração anual de renda, cujo prazo de entrega se encerra nesta quarta-feira, quem investiu ao longo do ano anterior em previdência, seja aberta — nos planos PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e Fapi (Fundo de Aposentadoria Programada Individual) — ou fechada, tem a oportunidade de deduzir as contribuições feitas para a entidade de previdência no montante investido pela pessoa física (não entra a contribuição efetuada pelas empresas patrocinadoras, no caso das previdências fechadas). É uma grande vantagem porque o contribuinte pode deduzir um total de até 12% da base de cálculo do imposto. Para isso, é necessário que o contribuinte recolha INSS.

Mas a vantagem da previdência vai além da dedução. Há também a questão do diferimento fiscal. Diferir significa adiar. Ou seja, o diferimento foi mais um incentivo criado pelo governo permitindo aos contribuintes de previdência complementar adiar o pagamento de Imposto de Renda do plano. Em vez de quitar durante o período que está acumulando, paga-se apenas no momento de receber o benefício ou de resgatar parte do montante acumulado. E por que o diferimento é uma vantagem?

O valor do imposto que você ainda não pagou continua rendendo durante todo o período de acumulação. Ou seja, você ganha dinheiro sobre um valor que poderia ter ido parar nas mãos do governo caso já estivesse sendo descontado. A previdência apresenta uma vantagem também com relação aos fundos de investimento por causa do chamado ‘come-cotas’, desconto feito anualmente, duas vezes por ano, antecipando o pagamento do Imposto de Renda sobre os ganhos. Logo, seu valor acumulado é reduzido, fazendo diferença sobretudo no longo prazo.

Vale ressaltar que para quem utiliza o formulário simplificado é mais interessante a contratação de um VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre). Isso porque esse tipo de produto não é dedutível e o imposto só será pago em cima do ganho de capital acumulado no período. O VGBL passa a ser uma opção interessante também para os isentos do pagamento de Imposto de Renda e até os que já têm um PGBL, mas sentem a necessidade de novos investimentos.

José David da Silva Moraes é gerente de Investimentos do Serpros

Últimas de _legado_Opinião