Por thiago.antunes

Rio - Será somente um sonho, ou será uma realidade? O Arco Metropolitano é um grande sonho da população do Estado do Rio de Janeiro, acalentado desde o início da Era Lula até os dias atuais. Considerada uma obra estratégica por fazer a ligação de quatro polos industriais, a via expressa deverá cortar cinco municípios: Duque de Caxias, Nova Iguaçu, Japeri, Seropédica e Itaguaí.

Comenta-se que seriam retirados do trânsito da Via Dutra e da Avenida Brasil mais de 10 mil carretas e 20 mil veículos leves. Mas o sonho não se torna realidade. Hoje, o governo estadual está garantindo a entrega do trecho de pouco mais de 70 quilômetros, entre Duque de Caxias e Itaguaí. Mas e o restante do Arco?

E esse trecho de responsabilidade do governo estadual, pasmem, já vai custar o dobro do previsto inicialmente. Algo em torno de R$ 1,9 bilhão. Porém, o traço completo só deve ficar pronto em 2016, com a duplicação da rodovia entre Magé e Manilha.

Hoje, a pressa em finalizar a obra tem motivo político, que todos nós sabemos qual é: a presidenta Dilma Roussef virá ao Rio inaugurar a obra até o dia 5 de julho, antes do início do período eleitoral. Há de se ressaltar que essa obra estava prevista no Programa de Aceleração do Crescimento, adentrou pelo PAC II e provavelmente será parte integrante do PAC III.

Por enquanto, a única informação que temos é que o governo do estado diz que entregará em maio um trecho de 72 quilômetros. O governo federal, por sua vez, só entregará o seu trecho de 22 quilômetros, entre Magé e Manilha, em 2016. E nós, população, como ficamos? Optamos pelo sonho ou ficamos com o pesadelo?

Andreia Zito é deputada federal pelo PSDB-RJ

Você pode gostar