Por thiago.antunes

Rio - Apesar de ser percebido como um povo hospitaleiro, o brasileiro ainda deixa a desejar quando o assunto é atendimento de qualidade. Já o carioca tem a fama de ser amigável e cordial, mas simpatia e informalidade não significam necessariamente um bom serviço. Quem paga a conta pelas mazelas apresentadas é geralmente o funcionário que está na linha de frente dos estabelecimentos, mas ele necessariamente não está preparado para isso. Mas o que precisa acontecer de fato para mudar essa realidade?

A mudança não vem de um dia para o outro. O primeiro passo é o engajamento do empresário, que precisa reconhecer o benefício do bom atendimento para o negócio e transmitir conhecimento para seus funcionários. Para realizar essa transformação, o Senac-RJ criou o Programa Senac de Hospitalidade, que teve seu projeto-piloto conduzido no concurso ‘Comida di Buteco’.

O primeiro grupo de trabalho foi formado por donos de bares. Eles participaram de uma sensibilização para entender como podem ser agentes dessa transformação do serviço. Depois desse primeiro passo, foi a vez de capacitar os ícones do atendimento na cidade, os garçons, que, muitas vezes, ficam com a fama pelo serviço ruim prestado. A realidade é que faltam capacitação e valorização dos atendentes.

Por isso, o programa do Senac-RJ no concurso não apenas está sensibilizando os donos de bares, mas também resgatando o orgulho de servir dos garçons e contribuindo para que o quadro mude em todo o estado.

Para ilustrar um bom serviço, quem esteve na capacitação viveu uma experiência memorável de atendimento. Em sala de aula, os garçons viraram clientes e sentiram como são importantes para o negócio e como é fundamental servir bem. Ao todo, 115 atendentes e 27 bares participaram do curso.

Após o ‘Comida’, haverá uma premiação para melhor boteco no quesito atendimento e serão oferecidas 40 horas de capacitação com foco em hospitalidade. São três opções de cursos: Atendimento em Bares e Restaurantes, Bartender ou Serviço e Vendas de Vinhos. Por fim, os estabelecimentos participantes têm a evolução do atendimento monitorada.

Todos esses passos foram dados para que os participantes do programa possam entregar para a sociedade um atendimento bom e hospitaleiro. O ‘Comida di Buteco’ acaba amanhã, mas o resultado das ações poderá ser conferido pelos clientes mesmo após o concurso. Com isso, o Senac espera deixar um legado para os tão acolhedores e tradicionais bares da Cidade Maravilhosa e contribuir para melhorar o serviço no Rio. O objetivo é expandir para outros segmentos e profissões.

Ana Paula Alfredo é superintendente de Produtos Educacionais do Senac-RJ

Você pode gostar