Por bferreira

Rio - Encerrando uma pinimba de quase dez anos, foi aberto ontem o Instituto Europeo di Design, o IED, na Urca. Como anunciado lá atrás, o espaço oferecerá cursos diversos na área de moda e artes gráficas e digitais e sedia uma exposição de móveis com entrada franca. Espera-se, agora, que a escola funcione sem sobressaltos na Justiça, onde o imbróglio repousou durante anos.

Não é todo dia que se inaugura um museu ou núcleo cultural na cidade, e a chegada do IED deveria ter sido saudada com entusiasmo. Não só por fincar um centro de excelência em design, mas sobretudo por devolver ao Rio, num belo trabalho de restauro, o histórico prédio que abrigou o Cassino da Urca e a TV Tupi — e que estava em franco estado de deterioração. Mas houve incompreensíveis manifestações bairristas, com justificativas rasas sobre o trânsito, como se aquele pedaço da capital fosse um feudo cercado por um fosso ou um condomínio privado. Não parece ser o caso o IED trazer o caos à Urca, como se pregou. Ao contrário, o movimento tem tudo para estimular o comércio e o turismo.

Felizmente prevaleceu o bom senso, e o carioca tem à disposição mais um espaço qualificado de cultura e conhecimento.

Você pode gostar