Roberto Monteiro: 116 anos de Identidade Vasco

O futebol chegou ao clube no começo do século 20. E virou motivo de orgulho para milhões de torcedores

Por O Dia

Rio - Foi naquele 21 de agosto de 1898 que a história do Vasco da Gama começou a ser escrita. Uma trajetória repleta de conquistas, vitórias e alegrias. Há 116 anos, um grupo de 62 jovens, formado em sua maioria por imigrantes portugueses, reuniu-se numa sala da Sociedade Dramática Filhos de Talma, na Saúde, e decidiu fundar uma associação dedicada ao remo.

Inspirados nas celebrações pelos 400 anos da descoberta do caminho marítimo para as Índias, batizaram a agremiação com o nome do navegador português Vasco da Gama. O futebol chegou ao clube no começo do século 20. E virou motivo de orgulho para milhões de torcedores.

Desde a estreia nos gramados, em 1916, o clube conquistou uma Libertadores, quatro Campeonatos Brasileiros, uma Copa Mercosul e 22 títulos de campeão carioca, entre muitas outras glórias. A fama do clube assim se fez. Hoje, no entanto, a história do clube precisa ser reescrita. Fundado para servir de ponte entre o Brasil e Portugal por meio do esporte, o Vasco vem sendo agredido inúmeras vezes.

Tentaram acabar com o clube, impondo a exclusão de negros e pobres. A resposta veio com a construção de São Januário. O clube virou referência de inclusão social, e todos seguiram o seu exemplo. Agora, surge uma nova frente de agressões, que busca dilapidar o patrimônio conquistado ao longo destes 116 anos. Os ataques mais sórdidos partem daqueles que usam a camisa alvinegra com o único interesse de obter vantagens pessoais, sem qualquer compromisso com o Vasco da Gama.

Trata-se de uma geração antiga de cartolas que usa de bravatas para desmoralizar as gloriosas tradições do clube. O perigo reside justamente na volta do clube a um passado de desmandos e tragédias. O Vasco tem um patrimônio e uma história de conquistas que precisam ser preservados. Sua imensa torcida, que hoje se espalha por todo o país, cobra — com razão — mudanças necessárias para levar o time à tradição gloriosa de vitórias e conquistas.

O Vasco é o time da virada. Que as eleições sejam, portanto, o início de uma virada de mentalidade no futebol carioca e no brasileiro. Que os dirigentes ajam com planejamento, metas e cobrança de resultados. Com transparência e gestão profissional, o clube poderá em breve disputar títulos nacionais e internacionais, reafirmando o orgulho de ser vascaíno.


Roberto Monteiro é advogado e candidato à Presidência do Vasco pela chapa Identidade Vasco

Últimas de _legado_Opinião