Por bferreira

Rio - Passada a campanha eleitoral, proclamados os resultados e conhecidos os vencedores, é hora de dar um basta aos radicalismos que marcaram as disputas para os governos, Câmara e Senado. Adversários de ontem, parlamentares e governantes precisam superar as divergências para trabalhar a favor de toda a sociedade. E esse trabalho precisa ser feito, muitas vezes, em conjunto por políticos de partidos e correntes de pensamento diferentes.

Isso é mais certo quando se fala do Poder Executivo. Afinal, municípios, estados e o governo federal devem trabalhar juntos em projetos e programas em benefício da população, independentemente dos partidos do prefeito, do governador e do presidente da República. O Rio de Janeiro tem sido, sem dúvida, um bom exemplo da cooperação dos três níveis de governo que resultou em um grande número de obras importantes, como bem soube divulgar em sua campanha o governador Luiz Fernando Pezão.

Também bno Congresso é preciso refrescar os ânimos acirrados na campanha eleitoral e, sem pretender esquecer as divergências políticas e ideológicas, buscar consenso nos projetos que envolvem os interesses da maioria da população. Não se pede que a oposição deixe de fazer oposição, mas não será bom para ninguém, nem mesmo para os partidos que saíram derrotados do pleito de domingo, fazer da intransigência forma de atuação no Parlamento. Cabe, portanto, a deputados e senadores lembrar que foram eleitos para ser, antes de tudo, representantes da sociedade e não apenas de seus próprios interesses.

Você pode gostar