Por paulo.gomes

Rio - Difícil encontrar uma pessoa que não tome remédios. A grande maioria toma mais de um comprimido por dia e, na correria da vida, acaba tomando de uma única vez os medicamentos recomendados. É mais prático, a gente se livra logo do compromisso e corre para trabalhar e tocar a vida. Até porque no nosso cotidiano o tempo é moeda preciosa que ninguém quer, nem pode perder. Médicos e farmacêuticos estão empenhados em esclarecer que não se pode tomar vários remédios juntos. Eles dizem que a mistura pode ter consequências desagradáveis ou até graves para a saúde.

Vale lembrar, por exemplo, que aquele dito popular que recomenda tomar antibiótico com leite é errado porque a mistura pode inclusive diminuir a ação dos antibióticos e aumentar a infecção. Remédio se toma com água e ponto. Nenhum outro líquido está liberado. Nem chá. Sabe outro perigo? Tomar banho quente quando a pessoa usa medicamento em forma de adesivo. O calor pode aumentar o efeito da droga. E, claro, se informar se pode consumir bebida alcoólica com os medicamentos que está tomando. Com a idade, os perigos aumentam. E estamos todos envelhecendo, o que é ótimo, já que a outra opção, que vocês já sabem qual é, ninguém quer.

Mas, na medida que o tempo passa, mais remédios fazem parte do nosso cotidiano. Falando francamente, os mais velhos sabem muito bem que os medicamentos aumentam as despesas e destroem orçamentos. Não é à toa que as farmácias dominam o comércio de rua das cidades, com uma funcionando ao lado da outra, nas vias de maior circulação. Quem toma muitos remédios tem mais é que fazer uma pesquisa entre uma loja e outra para comprar seus remédios por preço menor. Por conta disto, alguns laboratórios que produzem medicamentos de uso contínuo têm programas de fidelidade que dão descontos importantes, tipo 40%, se a pessoa está inscrita. Basta se informar no SAC do laboratório ou no 0800 que aparece na embalagem e perder uns poucos minutos ao telefone para se cadastrar e ter o bônus. Mas não são só os idosos que tomam muitos remédios.

Uma pesquisa recente comprovou que 74 milhões de brasileiros tomam remédios todo dia, os analgésicos são os campeões de consumo, e 20% da população jovem, entre 18 e 34 anos, toma remédio tarja preta ou vermelha, sem prescrição médica. A chamada automedicação é muito comum e preocupante. Tomar o medicamento que a vizinha ou a cunhada recomenda ainda é tido como normal. Quando o assunto é dieta então é um tal de xerocar a receita alheia que não tem fim. Resumo da ópera: ainda temos muito que aprender, e a tal da educação é a grande questão. E vai muito além da educação que se aprende na escola.

E-mail: [email protected]

Você pode gostar