Editorial: Urbanismo como guia para cidades

Com o Favela-Bairro, idealizado por Conde, procurou-se dar dignidade e condições de moradia

Por O Dia

Rio - Luiz Paulo Conde tornou-se político graças à dedicação que deu ao urbanismo e ao modo como o aplicou na gestão da cidade, primeiro como integrante da equipe de Cesar Maia, depois como prefeito. As transformações bem-sucedidas, fundeadas na inclusão, viraram parâmetro para governos seguintes. É mais uma escola de administração que não pode ser esquecida.

No passado, predominava a ideia de que comunidades carentes tinham de ser removidas, a despeito da opinião e da vontade de seus habitantes. Com o Favela-Bairro, idealizado por Conde, procurou-se dar dignidade e condições de moradia. As mudanças também chegaram ao asfalto, com o Rio Cidade.

Conde, como Marcello Alencar, prefeito e governador morto ano passado, reintegrou os espaços urbanos e lhes deu novos e funcionais desenhos. Traços que até hoje inspiram projetos como o Porto Maravilha — onde, merecidamente, uma via homenageará o professor ontem vencido pelo câncer.

Últimas de _legado_Opinião