Editorial: Caminhar juntos é preciso

Nesta semana, o Congresso põe em votação mais propostas consideradas pautas-bombas, por ampliar os gastos

Por O Dia

Rio - O fechamento das contas públicas, com recorde de mais de R$ 9 bilhões no vermelho, impõe severos desafios. Da parte da presidenta Dilma, os seguidos vetos dela a propostas de reajustes de 56% a servidores e de aumento acima da inflação a todas as aposentadorias vão neste caminho da austeridade. São medidas amargas e impopulares, mas extremamente necessárias para o governo parar de gastar mais do que arrecada e, enfim, criar condições para a retomada da economia.

Em sentido contrário, parece caminhar faixa expressiva de políticos. Nesta semana, o Congresso põe em votação mais propostas consideradas pautas-bombas, por ampliar os gastos. Mais uma chance de os parlamentares deixarem picuinhas políticas de lado e fazerem a sua parte rejeitando todas elas.

Aprovar mais despesas que não podem ser pagas não sabota apenas o governo Dilma. Sabota todo o país. No final, todos nós pagamos, com inflação descontrolada, desemprego, pobreza e mais de duas décadas desperdiçadas. O Brasil não merece.

Últimas de _legado_Opinião