Por bferreira

Rio - Nesta quinta-feira, dia 6 de agosto, o Município de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, celebra o Dia de São Salvador, seu padroeiro, realizando uma festividade que une milhares de pessoas através do amor, da comunhão e, principalmente, da fé.

Somando-se às muitas peculiaridades que tornam Campos ímpar, a cidade tem como padroeiro o próprio Jesus Cristo, visto que São Salvador é uma das nomenclaturas do Mestre. Certamente não poderia existir padroeiro mais universal — e único — do que este!

Numa época em que muita informação é consumida, mas não digerida, torna-se importante refletir um pouco sobre São Salvador e seu nome. Segundo o que consta nos dicionários, salvação é “a libertação de um estado ou de uma condição”. Seria esta data uma ocasião oportuna para que identificássemos as áreas de nossa vida que necessitam ser salvas? Seria este padroeiro unigênito o mensageiro de um novo tempo?

Penso que sim, e esta certeza se fortalece ao vislumbrar os inúmeros preparativos para a festa deste ano, que mobiliza todos os setores da sociedade, desdobrando-se em manifestações culturais, atrações artísticas e até mesmo em competições esportivas. Por um dia, toda a movimentação típica de uma cidade grande se converge para esses momentos de especial alegria para a comunidade. Uma salvação, portanto, nosso padroeiro já promoveu: a essência alegre e festiva do povo campista permanece intacta!

Esta celebração, porém, não precisa se restringir às fronteiras da cidade. Esteja você onde estiver, pense por um momento na ‘salvação’ — ou seja, na mudança — da qual você mais necessita. A festividade campista pode, afinal, ser um recado para você e, em última instância, para todo o Brasil.

É como disse o próprio Jesus Cristo — o nosso São Salvador: “Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu os aliviarei.” Quem estiver disposto a aceitar este convite de coração certamente encontrará motivos para celebrar!

Mauro Silva é jornalista e vereador de Campos

Você pode gostar