Editorial: Transporte precisa de alternativas

Os trens, alternativa sempre promissora, empacam nos atrasos

Por O Dia

Rio - Ampliar o transporte de massa na Baía de Guanabara é projeto antigo: há décadas já se falava na estação de Porto da Madama, em São Gonçalo, por exemplo. Linhas e terminais, contudo, jamais saíram do plano das ideias, e o Grande Rio, insistindo nos modais rodoviários, cada vez mais sofre com os gargalos que tanto lhe impõem prejuízos. E os trens, alternativa sempre promissora, empacam nos atrasos, como O DIA mostra hoje.

A Firjan retomou a questão e garante haver viabilidade para transformar a Baía no principal corredor da mobilidade urbana. Só no entorno preveem-se ao menos oito novas estações e 14 ligações além das já existentes.

Não se falou em valores da implantação do sistema, e conhecendo os políticos, é possível que chorem com os custos e hesitem em tocar as obras. Mas a Firjan destacou no estudo ganhos imensuráveis no deslocamento de milhares de fluminenses — e em um cenário que tende a sufocar se alternativas não forem pensadas e postas em prática já.

Últimas de _legado_Opinião