Por bferreira

Rio - Segunda-feira se comemora o Dia do Adolescente, esse ser incompreensível e incompreendido que um dia todos nós fomos. Comemoremos falando um pouco sobre essa fase tão complexa e ainda pouco compreendida pela ciência. Adolescência é o período de transição entre a infância e a idade adulta, caracterizado pela reorganização do cérebro que determina o início do interesse sexual, a readequação a um novo corpo, a mudança de interesses e formas de pensar e a maturação pensamento abstrato. Segundo a Organização Mundial da Saúde, esse período vai dos 10 aos 19 anos.

Segundo a neurociência, na adolescência o cérebro sofre a maturação dos neurônios e da transmissão dos sinais elétricos entre eles (sinapses). Fazem parte desse processo mudanças no sistema de recompensas, que é responsável pelo prazer que sentimos naquilo que fazemos. O adolescente desinteressa-se pelo carrinho ou pela boneca e começa intensa busca por novos prazeres, o que o torna um experimentador compulsivo de emoções e prazeres. Outro processo típico é o desenvolvimento do autocontrole, responsável por medir as consequências do que fazemos. O adolescente tem dificuldade de levar em conta a possibilidade de se arrepender antes de fazer algo. Esse desenvolvimento somente se completa por volta dos 18 anos, e é daí que vem a definição da tal maioridade penal. A união da experimentação compulsiva com a dificuldade de prever consequências dos seus atos faz do adolescente uma bomba-relógio; educá-la torna-se tarefa, no mínimo, desafiadora.

Na busca por se tornar um adulto, experimentar é essencial para que o adolescente tenha êxitos. O grande problema é que o experimentalismo sem autocontrole tende a resultar em desastre. Boa dica é ‘emprestarmos’ nosso cérebro já adulto para ajudá-los naquilo que ainda não conseguem. Podemos, por exemplo, antecipar consequências de seus atos, de forma que sintam que estão no controle, tomando as decisões. Em vez de dizer “Agasalhe-se, pois pode acabar resfriando-se”, diga “Já imaginou como será horrível estar gripado no domingo, dia do passeio com seus amigos? Vai fazer muito frio essa noite, seria bom se prevenir”.

Júlio Furtado é professor e escritor

Você pode gostar