Por bferreira

Rio - Se a equipe econômica olhar com mais atenção o turismo, verá, a exemplo do que aconteceu na Europa e de forma especial em Portugal, um dos vetores importantes para a saída da crise. A equação é ímpar: câmbio favorável para os estrangeiros, maior oferta de voos internacionais com o sumiço dos sacoleiros brasileiros, melhoria do nosso produto com os equipamentos construídos para a Copa e para as Olimpíadas e o Brasil na mídia internacional devido aos megaeventos esportivos, tudo isso turbinado pela decisão da Câmara e a espera da votação pelo Senado da suspensão temporária dos vistos. Nesta equação mágica devemos incluir uma Embratur profissionalizada, disposta a exercer o seu papel na promoção internacional e um Ministério do Turismo politicamente forte, com o titular capaz de arrancar vitórias no Congresso como foi o projeto do visto.

Na questão cambial temos ainda variável favorável: a redução drástica dos gastos brasileiros com viagens ao exterior. Ficou proibitivo dar um pulo em Miami. Com o dólar a R$ 4, cada vez menos brasileiros pensam em sair. Abre-se uma avenida para o turismo doméstico.

O que precisamos é termos rapidez de surfar nesta onda. Abrir as portas do país e convidar os estrangeiros para nos visitar. Levar Dilma a repetir o ato do colega Obama, que foi à Disney convidar os estrangeiros a gastar nos EUA na crise.

Diferentes de outras commodities, os dólares trazidos pelos turistas andam com suas próprias pernas. Eles sobem nos aviões, estão nos bolsos dos visitantes e nos seus cartões de crédito. É a forma mais rápida de transferir divisas. Sabemos bem disso, porque durante anos fizemos o circuito inverso, indo gastar quase 20 bilhões de dólares por ano lá fora enquanto recebíamos apenas um terço desse valor.

Ao preservar o Ministério do Turismo, Dilma acertou em cheio. Levy precisa compreender que cada dólar gasto na promoção do Brasil no exterior trará contrapartida muito superior.

O Brasil está barato, e o Rio ficou acessível para os estrangeiros. Que venham em massa encher nossos hotéis, lotar nossos restaurantes, fotografar nossas belezas e gerar empregos para nossa gente. O turismo agora é solução boa e das mais rápidas!

Cláudio Magnavita é membro do Cons. Nacional de Turismo

Você pode gostar