Editorial: Nações devem se entender sobre a Síria

É importante afinar o discurso sobre Assad, pois a história já mostrou o que acontece quando se varrem governos a esmo

Por O Dia

Rio - Enfrentar o Estado Islâmico não se restringe à Síria, mas passa obrigatoriamente por aquele país — ou o que sobrou dele. E há um impasse que precisa ser resolvido com urgência: como lidar com Bashar Al-Assad. O Ocidente quer o ditador fora, mas o faz de modo dissimulado, fomentando milícias. A Rússia, até então o fiel da balança na questão, é pró-Assad. Como O DIA mostra nesta terça-feira, ambos os lados condenam o terrorismo, mas a falta de união prejudica as decisões.

O presidente da França, François Hollande, vai juntar Obama e Putin para uma conversa nos próximos dias, a fim de aparar as arestas da necessária coalizão. É importante, porém, afinar o discurso sobre Assad, pois a história já mostrou o que acontece quando se varrem governos a esmo. O Iraque, também tomado pelo Estado Islâmico, é um exemplo.

Há vários interesses em jogo, e ignorar como o petróleo da região interfere nas ações é hipocrisia. O entendimento, portanto, é fundamental para neutralizar o poder do Estado Islâmico.

Últimas de _legado_Opinião