Eduardo Alves: Cenas que mudam a cidade

Nesses dias em que os olhares ficaram vidrados, molhados de tristeza, com as ações criminosas em Mariana e na França, a marcha das mulheres negras tem ainda mais relevância

Por O Dia

Rio - Nos últimos dias, a cena mais bonita foi ver as mulheres negras ocupando a capital federal em pleno Planalto Central. Partindo de várias cidades brasileiras, elas abalaram positivamente o país. Tomaram a cena, apresentaram afirmativamente a necessidade de o Brasil avançar humanamente e politicamente na conquista de uma justiça racial plena.

Que se registre: foram uma conquista, sim, as cotas para negros nas universidades públicas. Semear espaços múltiplos, com olhar de periferias, favelas, com a importância que negros e negras possuem ma história, amplia a humanidade em todas as dimensões. A ação significa uma universidade melhor, mais contemporânea, e reforça a possibilidade de mais conquistas e avanços. Afinal, o mais importante são as pessoas, e o mais forte são as conquistas que, quanto mais coletivas, mais duradouras serão.

Nesses dias em que os olhares ficaram vidrados, molhados de tristeza, com as ações criminosas em Mariana e na França, a marcha das mulheres negras tem ainda mais relevância. É verdade que a indignação é diária, como a que nos abalou com o assassinato do menino Eduardo Jesus, no Alemão, e várias outras crianças que vivem as consequências dessas desigualdades mórbidas. A superação das desigualdades e a priorização da vida é um brado contemporâneo, necessário no qual precisamos avançar.

Então, que nossos olhares se voltem para as cenas que estão chegando. Entre os dias 7 e 13 de dezembro pessoas do mundo ocupam o Rio em conversas e ações pela cultura: ‘Emergências. No dia 5, às 14h, na Arena Carioca Dicró, na Penha, a Escola Popular de Comunicação Crítica convida para um F-5 na vida, um encontro sobre juventude, tecnologia, comunicação e favela. O Circo Crescer e Viver traz para o Rio a beleza do 3º Festival de Circo entre 27 de novembro e 6 de dezembro: é lindo, não percam!

E atenção! Meu irmão de vida, sonhos, revolução, o amado Jailson de Souza e Silva, lançará, no dia 7, o livro ‘Bruxas e bruxos da cidade — Personagens da revolução no contemporâneo’. Liguem o botão da curiosidade e da busca por repertório e cheguem lá no Al-Farabi, na Rua do Rosário 30, no Centro do Rio, das 18h30 às 22h. Será um lindo encontro!

Eduardo Alves é sociólogo e diretor do Observatório de Favelas

Últimas de _legado_Opinião