Alfredo Scaff: Câncer infantil: uma luta de toda a família

Entre 1% e 3% do total de cânceres no Brasil ocorrem em crianças e adolescentes

Por O Dia

Rio - Entre 1% e 3% do total de cânceres no Brasil ocorrem em crianças e adolescentes. Com rápida evolução, os tumores malignos são a primeira causa de morte por doença na faixa etária de 5 a 19 anos no país. O Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantil, comemorado na última segunda-feira, nos lembra que, com diagnóstico precoce e tratamento adequado, a probabilidade de cura chega a 80%.

O Instituto Nacional de Câncer (Inca) estima que 1.100 novos casos vão se manifestar na população até 18 anos só no Estado do Rio em 2016, o que representa 10% das 11.840 ocorrências previstas para o Brasil no mesmo ano. E provavelmente estes números estão subestimados.

A Fundação do Câncer acompanha de perto a questão do acesso ao diagnóstico e do tratamento da doença no Rio ao articular junto a gestores do SUS serviços especializados e organizações da sociedade civil, que formam o grupo Unidos pela Cura. Um dos objetivos do grupo, iniciativa do Instituto Desiderata, é garantir o encaminhamento de crianças e adolescentes com suspeita de câncer em até 72 horas para investigação clínica.

Em casa, pais e responsáveis devem ficar alertas a mudanças no corpo e no comportamento dos pequenos. Nem todos os sintomas ligados ao câncer infantojuvenil tratam-se da doença, mas um profissional de saúde deve ser consultado diante de qualquer sinal diferente.

Palidez, hematomas, sangramentos e dor óssea costumam ser uns dos sintomas mais frequentes. Caroços ou inchaços (especialmente se forem indolores e sem febre ou outros sinais de infecção), perda de peso inexplicada, febre, tosse persistente, falta de ar e sudorese noturna são outros indícios.

A Oncologia Pediátrica do Inca é responsável pelo atendimento de 70% dos casos do estado. A Fundação do Câncer contribuiu para a ampliação da UTI pediátrica do instituto, para a construção do consultório oftalmológico e para a criação e manutenção da emergência pediátrica.

A detecção e a cura do câncer infantil começam em casa. Já os profissionais de saúde podem entrar em contato com o Unidos pela Cura (https://www.unidospelacura.org.br/), encaminhando os casos suspeitos. Todos unidos pelo controle e a cura do câncer infantojuvenil!

Alfredo Scaff é consultor da Fundação do Câncer

Últimas de _legado_Opinião