Editorial: O crime e a desfaçatez não passarão

Nunca antes na história deste país um senador cumprindo mandato foi preso

Por O Dia

Rio - As razões que levaram a Procuradoria-Geral da República a pedir ao Supremo Tribunal Federal a prisão de Delcídio Amaral, de dois de seus auxiliares e do banqueiro André Esteves remontam a “práticas mafiosas” e criam fato inédito. Nunca antes na história deste país um senador cumprindo mandato foi preso. Também não é todo dia que um dos mais milionários para atrás das grades.

Sobressai, nessa nova onda do mar de lama, as palavras certeiras da ministra Cármen Lúcia, cuja turma no STF ratificou a prisão — mantida horas depois em plenário pelos pares de Delcídio: “O crime não vencerá a Justiça. Aviso aos navegantes dessas águas turvas de corrupção: criminosos não passarão a navalha de desfaçatez e da confusão entre imunidade, impunidade e corrupção.”

Feliz a nação onde crimes são investigados e punidos, não importa a quem; é hora, como bem colocou a ministra, de enterrar a desfaçatez e a pretensa ingenuidade de nunca saber de nada e de distorcer a realidade para encobrir toda a sorte de malfeitos.

Últimas de _legado_Opinião