Por bferreira

Rio - Felizmente durou pouco o impasse acerca das bibliotecas-parque estaduais, vítimas da inclemente crise orçamentária por que passa o governo. As prefeituras do Rio e de Niterói afirmaram que vão assumir a gestão e os custos de quatro dos espaços, que chegaram a fechar esta semana por falta de verbas.

Ainda que batida, frase de Monteiro Lobato cabe bem para lembrar aos governantes a importância de manter abertas bibliotecas — sobretudo a do Centro do Rio, uma joia cultural de valor inestimável: “Um país se faz com homens e livros”.

Não faria muito nexo uma cidade que está multiplicando museus e centros culturais ficar sem bibliotecas. O bom senso, felizmente, sobressaiu, e os espaços ficaram pouco tempo cerrados.

Compreende-se que a crise é severa e que cortes são esperados. Mas não parece razoável decisão de subtrair saber por causa de finanças. Espera-se que as bibliotecas do estado passem incólumes a partir de agora. Leitores agradecem.

Você pode gostar