Henrique Eduardo Alves: Brasil, destino protetor para as crianças

Há mais de uma década, a inclusão social tem sido uma das principais marcas do governo federal

Por O Dia

Rio - Há mais de uma década, a inclusão social tem sido uma das principais marcas do governo federal. Nos últimos 12 anos, mais de 44 milhões de pessoas ascenderam à classe média, e outras 36 milhões deixaram a linha de extrema pobreza. As políticas de proteção infantil aliam-se à estratégia de inclusão social para assegurar a preservação do nosso principal ativo: o futuro das nossas crianças.

O primeiro passo é admitir que ainda há crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade. A exploração delas pelo turismo ou em qualquer outra atividade é crime que, na maioria das vezes, conta com a conivência da família e passa despercebido.

Prestes a receber o maior evento esportivo do mundo, a Olimpíada, que nos garantirá audiência de quase 5 bilhões de espectadores nos cinco continentes, é fundamental perguntarmos que país queremos mostrar ao mundo. Com certeza não é a imagem de uma nação que permite a exploração de seus cidadãos mais frágeis.

O Ministério do Turismo tem feito sua parte. Representantes da pasta percorreram todos os estados e o Distrito Federal para mobilizar a sociedade e os profissionais do mercado turístico em específico a identificar casos dos mais diversos tipos de violência e denunciá-los. Esta semana os técnicos do MTur estarão nas comunidades Cidade de Deus e na Rocinha para abordar o tema.

Nos últimos quatro anos, foram registradas mais de 25 mil denúncias de exploração sexual infantil. Nesse período, o Rio foi a origem de 2,5 mil dessas ligações e, atualmente, está entre os cinco estados que mais denunciam suspeitas aos órgãos competentes. O principal canal tem sido o Disque 100 — serviço de denúncia da Secretaria de Direitos Humanos.

A criança vitimada não fala. Por isso, é importante o apelo aos profissionais que atuam no setor, aos guias de turismo, às redes hoteleiras, aos profissionais de bares e restaurantes, aos taxistas: recorram ao Disque 100 e sinalizem seu estabelecimento com cartazes de alertas. Ao atender o chamamento, vocês estarão fortalecendo rede de proteção que conta com a participação da Polícia Federal, dos Conselhos Tutelares, dos ministérios do Turismo, da Saúde, Desenvolvimento Social e da Justiça. Estarão contribuindo para o Brasil mostrar ao mundo que é destino responsável, que protege crianças e adolescentes.

Henrique Eduardo Alves é ministro do Turismo

Últimas de _legado_Opinião