Luiz Antônio Teixeira Jr: Dia Z contra o zika vírus

Nova Iguaçu montou uma verdadeira operação de guerra de combate ao mosquito

Por O Dia

Rio - Ante o cenário extremamente preocupante que se instalou na Saúde em decorrência do vertiginoso crescimento de pessoas infectadas pelo Aedes aegypti, Nova Iguaçu montou uma verdadeira operação de guerra de combate ao mosquito. A cidade saiu na frente e criou o Dia Z contra o zika vírus, que acontece amanhã, com 600 agentes da Vigilância Ambiental em ação.

A força-tarefa vai envolver também secretarias e inclui visitas domiciliares, mutirão de limpeza, carros-fumacê, recolhimento de pneus e distribuição de panfletos que orientam a população sobre a forma de se combater o mosquito. Haverá especial atenção com informações específicas voltadas às gestantes, porque já foi constatado que o vírus pode causar microcefalia nos bebês. E isso é muito grave.

O Brasil enfrenta surto de recém-nascidos com microcefalia que é alarmante. São muitos os casos suspeitos dessa doença em diversos estados, principalmente no Nordeste. A microcefalia é uma malformação incurável que causa redução do volume cerebral, com consequências graves e permanentes para o desenvolvimento do individuo. Pela gravidade e o súbito aumento de casos relatados, nos remetem à síndrome da talidomida nos anos 60, causadora de deformidades em partes do corpo.

Portanto, estamos diante de uma difícil luta, mas da qual precisamos sair vencedores. Assim como aconteceu no Dia D de combate à dengue, no sábado passado, em que a população iguaçuana demonstrou grande engajamento, esperamos que o Dia Z contra o zika também mobilize a todos.

Nova Iguaçu tem trabalhado contra o Aedes aegypti de forma incessante. Ao longo deste ano, nossos agentes da Vigilância Ambiental realizaram mais de 1,5 milhão de vistorias. As equipes fiscalizam periodicamente 347 pontos considerados estratégicos para a proliferação do mosquito e aplicaram larvicidas. Cerca de dez mil capas para caixas d’água também foram distribuídas em 2015.

A situação é grave e não temos outra saída senão arregaçar as mangas e enfrentar o mosquito. Como ele se concentra mais nos domicílios, nosso maior combatente nessa guerra é a população.

Luiz Antônio Teixeira Jr é secretário de saúde de Nova Iguaçu

Últimas de _legado_Opinião