Editorial: Cidadania mais perto de deficientes

Cabe lembrar que o Brasil tem dívida histórica com portadores de deficiência, sobretudo nas grandes cidades

Por O Dia

Rio - Num país que costuma virar o rosto para as dificuldades enfrentadas por portadores de deficiência, é um alento a entrada em vigor do estatuto dirigido a esse segmento da população — cerca de 45 milhões de brasileiros. O conjunto de medidas passou a valer no início do ano, como mostrado pelo DIA no último domingo.

O pacote ratifica e aprimora direitos, como a reserva de vagas em estacionamentos e de carros adaptados no transporte público, mas vai além. Práticas no mínimo desumanas agora serão proibidas: cobrança de taxas em escolas e carência diferenciada em planos de saúde. Prevê-se até prisão para quem desobedecê-las.

É um avanço. Cabe lembrar que o Brasil tem dívida histórica com portadores de deficiência, sobretudo nas grandes cidades, onde a adaptação infelizmente ainda é exceção — quando deveria ser mais do que regra, deveria ser algo natural, corriqueiro. Mas é um processo longo, com passos curtos, e um importante foi dado. Que seja plenamente cumprido.

Últimas de _legado_Opinião