Por bferreira

Rio - Nas edições de domingo e de ontem, O DIA trouxe exemplos díspares, e em certo ponto equivocados, de como se lida com o turismo no estado. Anteontem, mostrou-se o risco de degradação da trilha da Pedra do Telégrafo, mais novo cartão-postal da Zona Oeste; nesta segunda, reportagem levantou a polêmica da restrição de acesso a balneários no interior, com cobrança de pesadas taxas e até senhas.

Quanto à trilha, ainda não é necessário controlar a entrada, mas convém aos frequentadores ter mais cuidado — informação, no início do passeio, é o meio mais eficaz para evitar medidas drásticas. Algum exagero parece haver no Sul do estado, como em Paraty e Angra, onde se cobram taxas altas de quem lá chega de excursão e sem contato com empresas ou estabelecimentos locais.

É legítimo explorar o turismo dessa forma e pensar em controle na alta estação, mas o visitante nunca deve ser destratado ou recusado. Bom senso, em todos os casos, é garantia de sucesso.

Você pode gostar